terça-feira, 27 de setembro de 2011

Poetas Fernando Pessoa

Um de meus poetas preferidos.

Alberto Caeiro, Heterônimo de Fernando Pessoa -UM VENTO MUITO LEVE PASSA

 

Um Vento Muito Leve Passa


Leve, leve, muito leve,

Um vento muito leve passa,

E vai-se, sempre muito leve.

E eu não sei o que penso

Nem procuro sabê-lo.

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XIII"  -Heterônimo de Fernando Pessoa

   Fernando Pessoa explicou a “vida”de cada um de seus heterônimos. Mais do que meros pseudônimos, outros nomes com os quais um autor assina sua obra, os heterônimos são invenções de personagens completos, que têm uma biografia própria, estilos literários diferenciados, e que produzem uma obra paralela à do seu criador.
  Fernando Pessoa criou várias dessas personagens. Desde cedo, Fernando Pessoa inventara seus companheiros. Ainda em Durban, imagina os heterônimos Charles Robert Anon e H. M. F. Lecher. Cria também o especialista em palavras cruzadas Alexander Search e outras figuras menores. Mas seria no dia 8 de março de 1914 que os heterônimos começariam a aparecer com toda a força.Neste dia, Pessoa escreve, de uma só vez, os 49 poemas de O Guardador de Rebanhos, de Alberto Caeiro. Como resposta, escreve também os seis poemas de Chuva Oblíqua, que assina com seu próprio nome. Logo, inventaria Álvaro de Campos e, em junho do mesmo ano, Ricardo Reis. Um semi-heterônimo de Pessoa, Bernardo Soares, só em 1982 teve sua obra, O Livro do Desassossego,composta por fragmentos de prosa poética, publicada.
  Assim  Fernando Pessoa apresenta a vida do mestre de todos, Alberto Caeiro:

"Nasceu em Lisboa, mas viveu quase toda a sua vida no campo. Não teve profissão, nem educação quase alguma, só instrução primária; morrendo o pai e a mãe, e  ficou em casa, vivendo de uns pequenos rendimentos. Vivia com uma tia velha, tia avó. Morreu tuberculoso."
   Fernando Pessoa cria uma biografia para Caeiro que se encaixa com perfeição na sua poesia, como podemos observar nos 49 poemas da série O Guardador de Rebanhos. Segundo Fernando Pessoa, foram escritos na noite de 8 de Março de 1914, de um só fôlego, sem interrupções. Esse processo criativo espontâneo traduz exatamente a busca fundamental de Alberto Caeiro: completa naturalidade.
“Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é.
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem por que ama, nem o que é amar...”
  Escrevia mal o Português. É o pretenso mestre de A. de Campos e de R. Reis. É anti-metafísico; é menos culto e complicado do que R. Reis, mas mais alegre e franco. É sensacionista.
  Alberto Caeiro apresenta-se como um simples “guardador de rebanhos”, que só se importa em ver de forma objetiva e natural a realidade, com a qual contacta a todo o momento. Daí o seu desejo de integração e de comunhão com a natureza.
  Para Caeiro, “pensar” é estar doente dos olhos. Ver é conhecer e compreender o mundo, por isso, pensa vendo e ouvindo. Recusa o pensamento metafísico, afirmando que “pensar é não compreender”. Ao anular o pensamento metafísico e ao voltar-se apenas para a visão total perante o mundo, elimina a dor de pensar que afeta Pessoa.
    É um sensacionista a quem só interessa o que capta pelas sensações e a quem o sentido das coisas é reduzido à percepção da cor, da forma e da existência: a intelectualidade do seu olhar volta-se para a contemplação dos objetos originais. Constrói os seus poemas a partir de matéria não-poética, mas é o poeta da Natureza e do olhar, o poeta da simplicidade completa, da objetividade das sensações e da realidade imediata (“Para além da realidade imediata não há nada”), negando mesmo a utilidade do pensamento.
   Vê o mundo sem necessidade de explicações, sem princípio nem fim, e confessa que existir é um fato maravilhoso; por isso, crê na “eterna novidade do mundo”.
  Para Caeiro o mundo é sempre diferente, sempre múltiplo; por isso, aproveita cada momento da vida e cada sensação na sua originalidade e simplicidade.
  Muitos estudiosos  ainda continuam discutindo  a seguinte questão: "Por que Fernando Pessoa teria utilizado estes heterônimos ?"
Fica claro para nós espíritas que Fernando Pessoa psicografava as mensagens (poesias e contos)e para a época era impossível assumir essa posição de médium, portanto a razão dos seus tormentos.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Sorvete de rosas


Com o início da primavera, dá vontade de sair usando flores em tudo, além da decoração,
elas também servem para serem usadas na alimentação.
Selecionei este sorvete de rosas do Blog chefsummer.receitablog.com.br, comemore a entrada desta estação maravilhosa que tanto alegra nossos dias!



Ingredientes:

1 litro de leite, 1 lata de leite condensado, 2 colheres (sopa) de açucar,
1 colher (sobr.) amido de milho, 1 colher (sopa) manteiga, 3 gemas,
5 gotas de baunilha, 120 ml de xarope de rosas.

Modo de fazer:

Engrosse os ingredientes (menos o xarope) em fogo alto. Esfrie e
adicione o xarope de rosas. Mexa bem e leve ao congelador mexendo de 1/2 2m 1/2 h até consistência de sorvete.

domingo, 18 de setembro de 2011

Embu das Artes - Passeio de sábado

Viela com antiquários




jardim de inverno de um antiquário











Estatueta esculpida em pedra por artista de
Embu das Artes, foi adquirida pelo meu
esposo que se apaixonou por ela (amor a 1ª
vista)...rsrs

sábado, 17 de setembro de 2011

Embu das Artes - Passeio de sábado

Após uma sexta-feira de jardinagem, que me deixou com uma tremenda dor no corpo, rs.(devemos valorizar os jardineiros...ô serviço cansativo!), resolvi dar uma saída neste sábado, pois se fico em casa só trabalho. Embu das Artes foi a cidade escolhida, embora vá sempre lá, mas nunca enjoo de ver coisas bonitas e recomendo a quem aínda não conhece, fazer comprinhas....ver antiguidades ou adquirí-las e almoçar por lá, sair da rotina faz bem pra alma!
Aqui um pouco de lá para vcs conhecerem:

                                 Fotografei local via celular.


foto do site

O conjunto jesuítico Nossa Senhora do Rosário é formado pela igreja e pela antiga residência dos padres, conjugadas numa mesma edificação. O desenho das portas e janelas cria uma delicada movimentação da fachada.
Trata-se de um dos mais importantes e preservados remanescentes das construções jesuítas em São Paulo, caracterizadas pela simplicidade das linhas retas.
A igreja começou a ser construída por volta de 1700 pelo Padre Belchior de Pontes em substituição à antiga capela da fazenda de Catarina Camacho situada não muito longe dali, também dedicada a Nossa Senhora do Rosário.
A nova igreja teria suficiente capacidade para que os índios e vizinhos pudessem comodamente observar os preceitos a que estão obrigados, como registrou o Padre Manuel da Fonseca no livro 'A Vida do Venerável Padre Belchior de Pontes'.
 retirado do site www.cidadeshistoricas.art.br

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Decorar com simplicidade

Tenho visto uma infinidades de blogs com a sugestão do uso de vidros recicláveis; e não é que fica uma graça! È só ver as idéias aqui e com a aproximação da primavera (já está aí) dá vontade de distribuir pela casa toda, mesmo porque para quem têm no jardim é só ir e pegar no pé.











Esta idéia eu criei (está em meu banheiro) com as embalagens destes produtos bucais, tem um vermelho lindo que aínda estava em uso.
A única observação é trocar a água sempre devido a dengue.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Receita de suco de uva


  Suco de uva roxa
Consumir um copo de vinho tinto traz benefícios para a saúde, assim como o suco de uva roxa, pois também contém polifenois e atoxinas, poderosos antioxidantes que controlam o colesterol ajudando a reduzir o colesterol ruim (LDL) e protegem o coração e todo o sistema circulatório.
            Estudo realizado por psiquiatras da Universidade de Cincinnati, descobriu que ao consumir um copo suco de uva diariamente, melhorou significativamente a memória dos pacientes, isso tudo graças aos polifenois contido na uva.
Comprei recentemente no Makro aqueles saquinhos congelados que são bem naturais 2 deles  rende 1 jarra de suco.
Além dos industrializados poderão ser feito em casa com a própria uva roxa: 

  • Modo de Preparo
  1. Lave bem as uvas, coloque em uma panela, cubra com água e misture 2 xícaras de açúcar
  2. Ferva até começar a se desfazer (é rápido)
  3. Deixe esfriar e passe no liquidificador
  4. Depois passe pela peneira e engarrafe
  5. Conserve na geladeira e na hora de servir junte água e gelo a gosto

Hidratação caseira da cabeça aos pés


Máscara para hidratar a pele do rosto:
1 copo de iogurte integral, sem sabor
1 colher de sopa de óleo de amêndoas
1 colher de sopa de mel
½ colher de óleo de semente de uvas brancas
folhas frescas de sálvia
Misture delicadamente o óleo de amêndoas, o óleo de semente de uvas brancas e o mel ao iogurte. Passe no rosto limpo, uma camada espessa e homogênea. Cobrir com as folhas de sálvia. Descansar por 20 minutos. Feito isso, retire a máscara com água fria, enxaguando bem. Enxugar a pele e complementar o tratamento aplicando sobre todo o rosto e pescoço uma boa quantidade de hidratante, específico para seu tipo de pele. Aplicar uma vez por semana. (sugestão: passar antes a máscara esfoliante)


Brilho para o cabelo:
½ colher de chá de óleo de abacate
½ abacate
1 ampola de ceramidas (encontrada em farmácia)
2 colheres de sopa de iogurte natural
Bata os ingredientes no liquidificador, passe nos fios e deixe agir por 30 minutos. Após isso, enxágüe com água fria.
Hidratação para o cabelo:
2 morangos
3 colheres de iogurte integral
½ colher de mel
3 colheres de chantily
Amasse os morangos com o mel e bata tudo no liquidificador. Passe a mistura depois de lavar os cabelos e coloque uma toalha na cabeça e deixe agir durante 20 minutos. Após isso, lave e deixe secar normalmente.






RECEITA CASEIRA PARA HIDRATAR  A PELE DO CORPO
Bata no liquidificador 1 copo e meio de água mineral com uma cenoura grande  sem casca, cortada
em rodelas. Coe e junte 1 pote de iogurte natural, 4 colheres (sopa) de quinoa, 1 colher (sopa) de mel e 5 gotas de óleo de gérmen de trigo.
Misture todos os ingredientes e passe no corpo. Deixe agir por cinco minutos e enxágüe. A mistura é antioxidante, nutritiva, ajuda a renovar e clarear a pele.
E pode ser feita 1 x na semana alem de hidratar sua pele você vai notar a  maciez ao toque .

Hidratação para os pés (com melhoral)

Ingredientes:
  • 10 comprimidos de Melhoral adulto;
  • 1 vidro de glicerina líquida;
  • 10 colheres de sopa de creme hidratante(para os pés);
  • 1 vidro de água oxigenada (usada para tingir cabelos);
Preparo:
Coloque tudo dentro do liquidificador e bata bem, até chegar a uma consistência agradável;
Procedimento:
Aplique nos calcanhares e no restante dos pés, de preferência a noite, antes de dormir. Repita o procedimento até obter resultado.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Como lacear calçado apertado.

Pessoal, quantas vezes compramos sapatos e temos que doá-los novinhos por ficarem apertados nos pés; ou decorrência de pé inchado ou porque comprou nº. menor mesmo!
Em minhas pesquisas pela internet vi um vídeo onde era ensinado como laceá-lo, fiz o teste com esse meu pretinho (que apertava as pontas dos dedos) e não é que deu certo!

utilize saquinho de plástico (observe se não está furado)
acomodando bem dentro do calçado (inclusive nas pontas
da frente onde ficam os dedos)
coloque o calçado num saco plástico ( mais por higiene) e
 leve ao frizer.
Retire no dia seguinte após a água do saquinho congelar.
Isso fará dilatá-lo e ao mesmo tempo irá fazer pressão no
couro também dilatando-o e laceando o calçado.

Pantufa Sapinho


Pantufa Sapinho


Aproveitando o finalzinho de inverno, ainda há 
tempo de fazer essa charmosa pantufa, que é
muito prática para executar.


Não sendo esse molde tamanho original, o ideal é usar uma palmilha de seu nº. (fica aqui só a idéia).
Tire também  a medida da meia circunferência da parte 
superior de seu  pé.







Pena que não dá para ler, mas creio que pela figura dê para entender. As pintas use
tinta para tecido, assim poderá ser lavado; as canetas tinta são muito práticas!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Hoje é dia do Veterinário! Parabéns pra vocês!!!

Não é novidade nenhuma que sou apaixonada por animais. Teria horas de histórias para contar sobre seus amores por nós, e do meu amor por eles; assim como tudo não é só flor, eles também dão muito trabalho, porém tudo vale a pena quando nossa alma não é pequena, parafraseando o poeta...
Oque seria de nós sem os cuidados médicos de nossos veterinários? portanto devemos a saúde de nossos queridos amigos a eles! Que São Francisco de Assis os protejam sempre!
Tenho centenas de fotos de meus queridos, selecionei algumas mais interessantes vejam que graça!












quinta-feira, 8 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011


Casa das Rosas

Estive sábado último com meu esposo e meu filho na av. Paulista, não foi a passeio não, na verdade meu esposo foi fazer uma cirurgia dentária e aproveitamos para fazer uma visita à Casa das Rosas, que fica próximo e era um sonho antigo meu. 
Fiquei um pouco decepcionada pois haviam muitos cômodos fechados, talvez porque a ênfase maior se dá a biblioteca, que não deixa de ter sua importância.

O escritório de Ramos de Azevedo projetou a Mansão das Rosas em 1930. A bela casa, hoje referência na vida do paulistano, foi uma das últimas construções realizadas na era da avenida Paulista dos barões do café. O imóvel foi tombado pelo Condephaat no dia 22 de outubro de 1985. A Casa das Rosas foi reaberta no dia 19 de setembro de 1995, com a proposta de ser um espaço cultural diferenciado, informatizado e dedicado a exposições. Hoje,as atividades do novo espaço estão essencialmente voltadas para leitura e pesquisa.
Em dezembro de 2004, a mansão passou a se chamar Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. O acervo de 35 mil volumes da biblioteca do poeta, tradutor e ensaísta Haroldo de Campos agora é de todos os paulistas. Além dos livros, a família doou à Secretaria da Cultura também o escritório do poeta.
Aqui foto da av. Paulista e região (1902)
Contraste entre a nova e a antiga construção



Vitral no hall da escada entre os pavimentos

banheiro com as peças sanitárias creio que
originais

muito mármore rosa

banheira da época





jardins na lateral direita da casa com rosas é claro!
A biblioteca reúne raridades, como as primeiras edições autografadas de livros de Octavio Paz e João Cabral de Melo Neto. Nas estantes,encontram-se as respeitadas traduções do próprio Haroldo de obras de inglês, francês, espanhol, alemão, italiano, russo, hebraico, chinês e japonês. E também cantos da 'Divina Comédia', em que ele trabalhava pouco antes de morrer.

Estamos na Primavera

Estamos na Primavera