quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011



...mas sim como os crisântemos e girassóis entre outras parentes, são uma reunião de pequenas flores que se desenvolvem de forma diferente!

Tente examinar a margarida aproximando-se bem dela. Você verá que há ali reunidas dois tipos de flores: umas formam o miolo amarelo, enquanto as outras formam a borda esbranquiçada. Mas não pense que elas crescem assim juntas apenas para que possamos admirar sua união.
Essas flores têm funções biológicas importantes quando unidas, como a de produzir néctar, atrair polinizadores, além de gerar e receber pólen. Para isso, se dividem para desempenhar essas diversas “tarefas”.
Muitas começam a desabrochar das extremidades em direção ao centro, assim, enquanto as flores da periferia estão na fase feminina – durante a qual são capazes de receber pólen -, as flores mais centrais estão na fase masculina – na qual liberam seu próprio pólen. Quando muitas flores estão assim reunidas, chamamos de inflorescência.
   *Tive margaridas por uns 20 anos seguidos (quando tinha casa no litoral na cidade de Peruíbe), trouxe muda para São Paulo, e enfim onde morei sempre as trouxe para enfeitar o meu jardim.






Flor de gosto popular e minha flor perferida sem muita exigência é só regá-las, e replantar por separação de touceiras .

Um comentário:

  1. Maga, é incrível como alguns conceitos que trazemos desde a mais tenra infância podem ser alterados com alguma informação. Eu jamais havia imaginado que a margarida não fosse pura e simplesmente uma flor, mas sim um agrupamento de diversas florezinhas. Foi muito bom estar aqui lhe visitando. Obrigado pela oportunidade. Abraço!

    “Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

    Convido-te hoje ao: http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir

Gostaria de sua opinião sobre a postagem.

Estamos na Primavera

Estamos na Primavera