quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Bezerra de Menezes

Bezerra de Menezes tinha o encargo de médico como verdadeiro sacerdócio por isso, dizia: "Um médico não tem o direito de terminar uma refeição, nem de escolher hora, nem de perguntar se e´ longe ou perto, quando um aflito qualquer lhe bate a porta. O que não acode por estar com visitas, por ter trabalhado muito e achar-se fatigado, ou por ser alta noite, mau o caminho ou o tempo, ficar longe ou no morro o que, sobretudo, pede um carro a quem não tem com que pagar a receita, ou diz a quem chora a porta que procure outro, esse não e´ medico, e´ negociante de medicina, que trabalha para recolher capital e juros dos gastos da formatura. Esse e´ um infeliz, que manda para outro o anjo da caridade que lhe veio fazer uma visita e lhe trazia a única esportula que podia saciar a sede de riqueza do seu Espirito, a única que jamais se perdera nos vais-e-vens da vida."
Homem de bondade única, conhecido como "médico dos pobres", muitas histórias lindas sabe-se de sua abnegação financeira e de dedicação aos pobres doentes, vale a pena pesquisar essas histórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostaria de sua opinião sobre a postagem.

Estamos na Primavera

Estamos na Primavera